quinta-feira, julho 30, 2009

A MÚSICA preenche todo o sentido, completa toda a essência.
Bate no fundo, te faz um nó na garganta, te faz pensar, faz seus olhos nadar em lágrimas.

A música é o que preenche um amor perdido, um amor bandido.
É a trilha de uma época, de uma vida.
Trás lembrança, chama saudade.

A música só. Não te deixa só. É mais uma voz, harmonia de notas, conjunto. Harmonia do som.

A música muda a vida, a cor o lugar.

A música é o par na dança...te leva, de rege, te acompanha.

A música não é daki. É de um lugar onde ela não pára. Ele cria tudo que é bom. Do céu...é de lá...é de lá que vem a música.
Karol Flegler

quarta-feira, julho 29, 2009


Exercitando a mim mesmo a sabedoria, vi algumas coisas debaixo do SOL,
algumas coisas não tem como evitar, ou será que tem?Somos indivíduos ou seres individuais, dá no msm, Quais serão as conseqüências de nossas escolhas? Como saber se o que escolhemos é mesmo o que queremos ou fruto de um desejo? E como sabemos quando estamos agindo com o Coração ou com a KBÇA? Quando podemos diferenciá-los? Eles estão sempre juntos, nos fazendo fazer coisas q nem eles mesmos entendem. Mas espere! Estou falando de Nós msms, Ou o coração e a MENTE não fazem d parte de nós?E como fazem! Então Cheguei à conclusão de que eles são como um casal. Sim, um casal de namorados! Que por mais que estejam diretamente ligados, e se amem, fazendo parte de um mesmo conteúdo, ou de um habitat em estudo, por horas eles estão totalmente ligados, conectados, se amando, se entendendo, e noutra estão se odiando se divergindo, fazendo rolar a confusão. E o que fazer quando essas duas partes do corpo se odeiam? Aí filho, espera! Até q as coisas se posicionem! Pois agir coma kbça nos torna racional, é akela parte do casal que termina por ver q não vai rolar mais!E agir com o coração é akela outra parte do casal q vai sofrer, e sofrendo vai até... se apaixonar de novo e dpois já era! Pq qndo vc cair na real e “pensar” q pode voltar a trás o coração já está em outra. É TARDE! A mente pod até esquecer por tempos, mas o coração vai bater mais forte! Não tem jeito! E se o coração Não bater mais forte a MENTE vai lembrar, PROCURE DEIXAR Q OS DOIS SE ENTENDAM!
(Karol Flegler)

OUNNN, um texto da Jaci...


ah, as amizades...
É uma ligação que não se explica, nem se limita
Não é obra do acaso, muito menos um contrato
Difícil saber quando se inicia e se um dia termina
É ter opinião própria, e não se anular pra se encaixar
Não é dar conselhos, nem impor seus desejosTrata-se de ouvir, mas também de falar
É saber compartilhar e muitas vezes se doar
Não é exigir, nem cobrar é conquistar
É não ver a hora de se encontrar, para contar os lances da vida
Nem sempre estar de acordo, mas mesmo assim fornecer seu apoio
Não é querer que caiam aos seus pés, e sim que peguem sua mão
É ficar com raiva, mas não deixar que ela demonstre mais do que é
É olhar no olho, expor seus medos e anseiosInterferir se for preciso, mas nunca ferir, basta compreender
É ir à estréia de um filme, ou ver aquele repetido
Estar ao lado, dar um abraço ou um simples tchau
É sorriso sincero, contagiante, curador
Hoje em dia é coisa rara, ainda bem que tenho tal raridade!
É confiança, é gargalhada... é muita coisa!

Enfim, não tem reservas.

(Jaci.ara)

segunda-feira, julho 27, 2009


Confusão. Certeza de estar sozinha. Não há, na verdade, confusão. TUDO É CLARO. Vc faz falta. Só aparece nos sonhos num ar de eu sei de tudo, num ar de calma.Outro dia subi para lembrar, lembrei de muita coisa afinal. Ao final era só vc e eu. A velha casa está no mesmo lugar, mas o que fizemos juntos desabou. Já não te vejo mais como o responsável que deveria. Agora, amigo. Sei q herdei de vc a certeza de poder expressar os sentimentos nas palavras. Pq vc não me ensinou? Aprendi sozinha, tendo vc de referência. Nessa noite apareceu mais uma vez a vontade de tê-lo por perto...kd vc e a droga da sua vida?kd vc e além da verdade? Kd a possibilidade de correr contra qm me machuca? Não me olhe assim. Não há mais volta. Só falta vc, Pai.

sábado, julho 25, 2009


[...] Estou tentando impedir que alguém repita a rematada tolice dita por muitos a seu respeito: “estou disposto a aceitar Jesus como grande mestre da moral, mas não aceito a sua afirmação de ser DEUS.” Essa é a única coisa que não devemos dizer. Um homem que fosse somente um homem e dissesse as coisas que Jesus disse não seria um grande mestre da moral. Seria um lunático – no mesmo grau de alguém que pretendesse ser um ovo cozido - ou então o diabo em pessoa. Faça sua escolha. Ou esse homem era, e é, o filho de DEUS, ou não passa de um louco ou coisa pior. Você pode querer calá-lo por ser um louco, pode cuspir nele e matá-lo como a um demônio; ou pode prosternar-se a seus pés e chamá-lo de SENHOR E DEUS. Mas que ninguém venha, com paternal condescendência, dizer que ele não passava de um grande mestre humano. Ele não nos deixou essa opção, e não quis deixá-la.

C. S. LEWIS - CRISTIANISMO PURO E SIMPLES.


O que eu aprendi esse ano?
Que muita coisa na vida vai ter um fim ..menos a vontade de viver
Que abrir mão da indiferença abre caminhos
Que os amigos serão eternos, msm distantes.
Que a sua vida depende de escolhas e vc tem que escolher o motivo certo pra mudar.
Que uma referencia bíblica diz muito mais do eu pensava.
Que estive no lugar certo e na hora certa em cada segundo do ano.
ENCONTREI AS pessoas certas e nem sempre elas eram certas.
Que ser útil faz bem pra alma.
Que aprender algo quase novo é faz MUITO bem.
QUE NEM sempre tudo vai sair do meu jeito...
Que a minha história é grande e engraçada...
Que qndo vc menos espera a vida dá uma virada e tudo muda!
QUE eu posso muitas coisas, e tenho preguiça
Que eu sinto falta do meu pai.
Que eu não me importo muito com que as pessoas pensam a meu respeito...rs mas deveria... as vezes RS...
É esse ano foi... diferente!
Partindo do princípio básico de “escolher”...
Me resta saber o que é mesmo certo diante da vida...

Dizem que a vida acontece no presente...mas será mesmo verdade?
Ouvi dizer que qndo se olha pro futuro eLe tende a mudar...o que seria de nós se soubéssemos dele? ...do futuro... a vida seria tão... como é...

É pq na verdade... na verdade nós sabemos...
Partindo das escolhas... é na verdade... a gente sabe do futuro ...só não quer vê-lo como realmente vai ser...e fica fantasiando ...e enfeitando e tentando fazer tudo dar certo ...qndo sabemos q vai dar tudo errado mesmo...

Todo mundo finge não saber do futuro ... pq ainda é obscuro mas com as escolhas ele vai clareando ,... deixa de ser trevas pra ser talvez o verdadeiro inferno... são as escolhas que nos levam pro futuro ...
Karol FLEGLER

sexta-feira, julho 24, 2009


Escrevendo por observação. Jaciara vai dizer que sou ruim. TALVEZ... Mas qual é o preço de ser popular? O que as pessoas populares sofrem? Do mais, temos grupinhos na escola quando somos crianças, adolescentes, temos ainda nas faculdades. E qual é o problema disso quando se é adulto?

Os adultos têm panelinhas também. Mas como já disse em outro artigo ainda não publicado, aos 21 que se conhecem os amigos eternos.

Mas cara, o que quero dizer é que estou de saco cheio das pessoas quererem controlar minha vida dizendo com quem devo ou não me relacionar. Se ter amigos é ter panela. EU TENHO PANELA. Tenho panela na escola, na igreja, no trabalho e onde mais eu me relacione e tenho amigos.

Amigos é aquele tipo de gente que não pensa necessariamente como você, mas que mesmo pensando diferente se identifica e se entendem. Não há espaço para mal entendidos.

Agora é claro que se amigos ficassem em ambientes diferentes seria muito estranho. Aí quando os amigos se reúnem eles estão /fazem parte da “panela”. Não se pode assistir a filmes juntos, ou ir ao cinema, ou ir comer batata, ou sei lá só sentar na calçada pra conversar que é “panela”.

Na ditadura militar era que se proibiam algumas coisas, já vivemos a democracia. Abaixo aos críticos das amizades só porque eles não fazem parte.

quarta-feira, julho 22, 2009


“Ele pinta os céus todos os dias”.
Karol Flegler

Uma nota sobre “RESISTENCIA”. Um livro com um outro ponto de vista sobre a guerra. A resistência, o lado que não abre mão, que mesmo sendo massacrado, humilhado não abre mão do patriotismo, da nacionalidade E da dignidade. Agnes era uma líder nata, embora em campos de trabalhos forçados ela liderava mulheres para continuarem vivas. A inteligência dela me constrange, “como não dedurar os amigos”, embora a própria vida estivesse em jogo o silêncio era o maior aliado. Sobre uma parte muito interessante do livro em que ela é levada a julgamento... Se dependesse das mulheres francesas os alemães jamais teriam ocupado a frança. Se dependesse de Agnes jamais ocorreria a guerra.

Karol Flegler - sobre o Livro resistência


Uma nota sobre o diário de ANNE FRANK, um livro em “times new Roman” que me dificultou a leitura. Anne me fez repensar tantas coisas que ainda me pego no anexo, comparando gerações e a falta de cultura dessa nova geração. Anne lia 200 págs por dia em alguns dias, se interessava por livros e tinha o futuro traçado, pena o destino ser cruel. Anne era só uma adolescente em crise em plena a guerra, sua sinceridade, seu afeto pelo pai, e a descoberta diária sobre a vida fez dela não só + 1 adolescente em meio a multidão, mas akela que mesmo em tempos difíceis aproveitou para crescer. Suas experiências, sua vontade de conhecer a vida faz dela desbravadora do mar da proibição e das coisas ocultas dakele tempo. Anne certamente seria uma boa jornalista e uma ótima escritora.

Karol Flegler

Uma nota sobre “A menina que roubava livros”. É impressionante como o autor faz vc acreditar q qm escreve é mesmo a morte, ela observava Liesel o tempo inteiro, em alguns “diários da morte” ela se mostra irônica, cansada, porém dedicada. Frau Huberman, uma mulher que a principio me fez crer que era uma mulher sem coração, agora a vejo como vítima do sistema, a roubadora de livros e seu comparsa, Rudy Steiner, te levam a crer na amizade. E a relação de Max com Liesel me faz crer no amor, não de homem e mulher...mas de humano para humano...E o HANS... bom, ele é uma pessoa q eu nunca conheci ... mas é estranho como as vezes sentimos saudades de coisas que nunca aconteceram. E a morte? É ela é uma boa contadora de histórias ao passo q Liesel Meminger uma ótima roubadora de livros.

Karol Flegler