sexta-feira, outubro 23, 2009

Do contra, EU?


“Se, em uma reunião, 10 concordarem com tudo 9 são desnecessárias”.
Só pra amenizar as opiniões ou pensamentos que podem vir a surgir a respeito de nosso “debate” do pequeno grupo.
As questões que referem a fidelidade do cristão para com o seu DEUS, é muito mais detalhista do que se pode imaginar, porque ser fiel nos grandes e públicos atos de nossa vida é tão mais sério do que pode parecer quando estamos trancados em nossos quartos ou em frente do computador?
Quero só alertá-los a despeito disto, tocar em público sendo cristão num grupo não cristão é mal testemunho para muitos, em sua grande maioria, mas eu me pergunto se ouvir música secular em seu mp3 também não seria? Quando se questiona sobre esses assuntos a galera se sobressai, e dizem que sempre tem um “se for ver”.
Quando Paulo fala que “tudo me é lícito mas nem tudo me convém” ele quer dizer que: Tudo é lícito porque nós somos seres livres, afinal, Deus nos deu o livre arbítrio. Mas quando ele fala que NEM tudo me convém, vc há de convir comigo que não se pode fazer tudo o que se quer. Porque o Cristão vive à luz do que está na bíblia e Paulo diz:”vivo não mais eu, mas Cristo vive em mim e a vida que agora vivo no Espírito e não na carne”. Ao passo que se levarmos em consideração que se não serve aos outros, lógicamente, não serviria pra mim, mas eu disse “logicamente”.
Mas a questão é que se cairmos no erro de discutir os extremos do que se pode ou não pode, acabaremos por chegar ao ponto que C. S. Lewis fala a respeito de ficar discutindo qual é o pior pecado. Só devemos, como Cristãos, nos lembrar que não vivemos para nós agora, temos um propósito, e se as coisas que fizermos ferir os propósitos de Deus, então estamos no caminho errado. A fidelidade do cristão dever ser provada não somente nas grandes coisas sobretudo naquelas que são públicas, mas infinitamente mais naquelas que somente eu e vc sabemos que devemos provar.
No que se refere a questão que foi levantada, ora, quem mais poderia ser do contra?

Karol FLEGLER

Nenhum comentário:

Postar um comentário