domingo, março 28, 2010

Arte Paleo-Cristã.


Nem todos os artistas são treinados para o que é belo ou o que necessariamente chamam de arte, foi assim na pré história e também nesse período da história chamado Paleo- Cristã; que passou a existir depois da morte de Jesus Cristo.No ano de 64 d.c., o imperador de Roma, Nero, perseguiu os cristãos, mais tarde por volta de 303 e 305 d.c. o governo Deocliciano buscou matá-los a fio de espada por serem muitos.Os mortos cristãos eram enterrados em catacumbas, os mártires em maiores com direito da pinturas nas pedras e algumas poucas esculturas. O símbolo principal era o peixe, marca oficial do cristianismo, e também “Escrito” como por exemplo, ICHITYS, QUE SIGNIFICA Jesous Christos Theos yios soter, “Jesus Cristo filho de Deus, salvador”. Essa primeira fase foi chamada de fase catumbária, que vai até o ano de 313. Os artistas eram homens do povo, e as pinturas eram simples.Há várias considerações a fazer a respeito desse período sofrido da história da arte, período onde a arte é sufocada por ideologia política, consideraremos 2 pontos importantes:1 – A importância dos símbolos na fixação de marca.A Marca tem é uma ferramenta fundamental, o homem primitivo já usava sinais para representar algo. A marca tem que ser o mais simples possível e nessa simplicidade enviar uma mensagem ao receptor. A MARCA DO CRISTINISMO é o peixe, um símbolo simples que origina-se da história do Cristo com seus discípulos, por sua força faz-se conhecida no mundo inteiro. A marca faz os olhos identificar uma mensagem inteira em poucos segundos.2 – A não experiência técnica da arte como legado histórico segue o princípio do homem pré histórico que marcava na rocha uma abstração lingüística de maneira rudimentar aquilo que desejava expressar, assim também aconteceu com os cristãos do séc. 1° ao 3°. De maneira simples homens comuns pintavam e deixavam sua marca no mundo, de modo que hoje ao estudarmos história da arte, os conhecemos como artistas e demos às suas obras nome de arte. O homens das cavernas do séc. 3° tem função de eternizar o momento que passa, e isso é mais que arte, é história da Humanidade.Karol FLEGLER -

Um comentário:

  1. Gostei da sua analise, torna a arte primitiva contemporanea.É isso, o novo sempre vem.
    Regina

    ResponderExcluir