segunda-feira, março 15, 2010

Teoria da conspiração.







A amizade é uma relação entre homens em seu mais alto grau de individualidade. Ela afasta os homens do convívio coletivo tão decisivamente quanto a própria solidão, e de forma ainda mais perigosa, por que os afastam em grupos de dois ou três. Ela é seletiva, é uma relação entre poucos.

Em geral, os amantes se põem frente a frente, absortos no outro; os amigos lado a lado, absortos têm algum interesse comum.

Na amizade dividir não é diminuir, já que em cada um dos meus amigos existe algo que apenas o outro é capaz de trazer à tona plenamente, enfim preciso de outras luzes além da minha para revelar todas as facetas. Entretanto a escassez de almas em afinidade com a nossa para não mencionar considerações práticas quanto ao tamanho das salas e a audibilidade das vozes estabelece limites a ampliação dos círculos.

O companheirismo é apenas a fonte da amizade.

A amizade surge do mero companheirismo quando dois ou mais companheiros (colegas) descobrem que tem em comum alguma idéia, interesse do mesmo gosto.

EM TODO GRUPO DE AMIGOS EXISTE UMA OPINIÃO PUBLICA SECCIONAL QUE FORTALECE SEUS MEMBROS CONTRA OPINIÃO PúBLICA DA COMUNIDADE COMO UM TODO. TODO grupo, portanto, é um bolsão de resistência em potencial . Homens que tem amigos de verdade são menos fáceis de convencer, é mais difícil corrigi-los, para as boas autoridades, ou corrompê-las para as más.
Entretanto, se vivermos em um mundo onde todos sejam companheiros e ninguém seja amigo, certos perigos serão eliminados, mas não teremos nossa mais forte salva-guarda contra a servidão completa.

Um círculo de amigos, diferentemente de uma classe social poderosa, não é capaz de oprimir o mundo exterior. MAS, ESTÁ SUJEITO EM SUA PRÓPRIA ESCALA ao mesmo perigo. O esnobe quer associar-se a um grupo por que esse grupo já é visto como elite, os amigos correm o risco de se ver como uma elite porque já estão associados.

Procuramos pessoas como nós por si mesmas.
A amizade necessariamente exclui.
Na amizade imaginamos ter escolhido nossos pares, enquanto no amor e na família é o destino. Cristo que disse a seus discípulos”...: “vcs não me escolheram, mas eu vos escolhi” – pode verdadeiramente dizer a todo grupo de amigos cristãos:” vc não escolheram uns aos outros mas eu escolhi uns para os outros.

Ela é um instrumento pelo qual DEUS revela a cada um a beleza dos outros.

Lewis;

Nenhum comentário:

Postar um comentário