terça-feira, julho 13, 2010

Prova de História da Arte - Sobre 2 histórias

Por volta do ano 64. Depois da morte de JESUS Cristo surge um período intitulado Paleocristão, O Imperador Nero perseguia os cristãos e os matavam. Esses cristãos eram enterrados em Catacumbas e onde haviam os cultos cristãos, era também nesses lugares que pintavam figuras que se relacionavam a nova religião – O Cristianismo. Em alguns desses lugares podemos encontrar a figura de Jesus como O Bom Pastor, Jesus sendo batizado, também podem ser vistas cenas dos milagres que Jesus realizava, como a mulher do fluxo de sangue, a multiplicação dos pães e peixes. Essas pinturas eram simples e até rudes, feitas pelos próprios cristãos. Em sua maioria não retratavam a cena real, como é o caso da mulher do fluxo de sangue, na bíblia conta que havia uma multidão em volta de Jesus e a mulher toca em seu manto, mas na pintura só há Jesus e a mulher. Durante anos e anos os Cristãos foram perseguidos e mortos. Mas no século 3°, com a “conversão” do Imperador Constantino e através do ÉDITO de Milão o Culto Cristão passa a ser permitido e praticamente obrigatório em todo império. Esse período é chamado de Basílical, uma vez que, os “templos” eram feitos em forma de basílicas que em Roma eram os lugares onde se havia “justiça". Os templos era bem rudes, fachadas simples, sem muitas alegorias, praticamente nenhuma. E internamente havia ainda uma preocupação com o uso da Imagem visto que a bíblia condena idolatria à imagens. Não se usava nessa época esculturas.
Já no por volta do séc. VII surge o que mais tarde chamaram de Gótico. Já nessa época vemos um total contraste no que se via nos primeiros anos Cristãos. A “Igreja” era forte e dominadora, logo a arte dentro e fora dela estava em seu maior esplendor. As fachadas das Catedrais Góticas são exageradamente altas, característica marcante desse período e se dividia em 3 partes, suas janelas tem forma de arco ogival que permite a sustentação de sua altura, outras características são as rosáceas e os Vitrais que são extremamente importantes já que as paredes são finas e eles preenchem grande parte delas. Segundo Gombrich, as cores usadas nos Vitrais não eram usadas de forma comum, mas sim para levar o fiel a pensar na eternidade, como um pensamento distante dos pensamentos terrenos. Haviam esculturas em muitas partes, desde as portas com personagens bíblicos como Abraão e Isaque, discípulos e a morte da Virgem Maria. E dentro também haviam esculturas, como de pessoas fundadoras da Catedral. Há também muitas pinturas importantes nesse momento, como "A Anunciação", "A fuga para o Egito", histórias narradas com muitas riquezas de detalhes, ness tempo é que a perspectiva vai sendo aprimorada para mais tarde, no Renascimento, ser perfeita. Sem dúvida houve uma evolução nas características estéticas e plásticas do Paleocristão para o Gótico, ao invés de cultos às escondidas se tem catedrais Monumentais por toda França, Italia e Alemanha, como é o caso da Catedral de Koln . Ao invés de pinturas pobres feitas por homens do povo, temos pinturas ricas em detalhes e vitrais contando histórias. Tem-se o Cristo de madeira pregado em Cruz e a Virgem Maria como uma das figuras principais. A “igreja” que em muitos sentidos apontava para o céu vê-se cada vez mais presa aos costumes terrenos. A “IGREJA” mostra O Cristo não o VÊ.
Karol Flegler

Nenhum comentário:

Postar um comentário