domingo, novembro 28, 2010

ONE LOVE

Então, ONE LOVE começou semana passada e muita coisa já temos pra contar! Mas quero falar de um cara que não sai da minha cabeça! Bom, então hoje fomos apresentar o projeto no Bairro Eurico Salles – Serra, e já de cara nos apaixonamos pela irmãzinha que muito nos agradeceu por irmos lá e talz, cara...tem noção? Só conversando com ela. Abrindo um “ASPAS” (COMO DIRIA CAROL), ainda escreverei sobre as pessoas que conheci nessa vida que me fizeram chorar de olhar uma vez só. Mas voltando ao assunto, a igreja nos acolheu bem d+ e fomos pra batalha.
Depois q eu gritei no palanke... que os meninos dançaram e interpretaram... veio a parte boa, falar de JESUS CARA A CARA! Bom aí tinha um homem... meio quarentão, tatoos, parado e olhando, eu havia dito que as pessoas de camisas coloridas iriam procurar a platéia pra bater um papo...e depois que os grupos se dividiram ...bom...não havia ninguém pra falar como ele. VC acha que ele foi embora? Eu senti, ele ia ficar ali até alguém falar com ele. Quando o irmão Fábio e duas gurias desocuparam, fiz sinal pra eles irem lá... e num é que era? O cara disse que já havia tentado se matar muitas vezes e que era usuário há 12 anos, e ninguém melhor do que FÁBIO que tbm já foi pra falar do amor de Deus, e de como JESUS pode transformar...
Então ...eu pensei, se esse projeto ... bom...se durante todas as apresentações ninguém se converter e ... sei lá... ele ..esse cara se converter e entender a mensagem...valew os 5 meses de preparo e ...muita tinta verde.
Falando em DEUS, vc não acha incrível qndo se encontra com outra igreja e tudo faz sentido?

Karol FLEGLER

sábado, novembro 27, 2010

game over.

Jaci reclamou que tenho escrito pouco, mas é que me falta um tanto de tempo, não que escrever seja fútil, mas que outras coisas são mais urgentes e pensar têm sido uma constante guerra. O que vou dizer hoje? Não há muitas filosofias hoje. Quero esvaziar-me de umas coisas aí. Poderia falar de imagens técnicas que é o tema do trabalho de multimeios, falar sobre a felicidade QUE é do que SE Trata meu trabalho de escultura, mas não to afim, me veio até uma idéia para escrever sobre a guerra, mas não to pronta ainda. É, eu sei...li muito durante esses anos todos, vi uns filmes, revistas e tc... mas não é o bastante, afinal, foram 5 milhões de JUDEUS com histórias diferentes. Bom ... então aguardo por Jaci ...ela vai me trazer filmes pra eu passar a noite distraída e Carol me ligou há pouco e virá pra cá... e terei que ouvi-la sobre os problemas que teve no trabalho e também na igreja... e ela também vai falar sobre o namoro frustrado que durou 1 mês e que já faz anos que acabou, isso é vida? Tah ...eu zoou ela mas... eu sei q é duro viver essas coisas. Então antes de decidir sobre o que eu vou realmente falar que estou bem, talvez eu não atenda o cel hoje.
Não, você não sabe o que se passa na minha cabeça. E isso é o mais legal. Eu usava um sobretudo. Você ria (CAROL CHEGOU ... 20H... ALGUNS MINUTOS)
É...do que eu tava falando mesmo? Então ela chegou e logo em seguida Jaci e Lucas passaram aqui e deixaram uns filmes pra nos distrairmos. O GOD. ELA dormiu em 5 min. E tah lá agora ...que já é 1h da madrugada. Ah e Rodrigo tbm saiu há poucos...mas não antes de me confirmar que VINICIUS ESTÁ NAMORANDO COM MARIANA.
E ATÉ onde eu sei isso parece com a verdade. Não quero precipitar as coisas..mas isso é quase uma carta de despedida, o mundo nunca mais será o mesmo!
Eu falei mundo?
O mundo acabou! GAME OVER.
Karol FLEGLER

sexta-feira, novembro 26, 2010

COMO se não bastasse em mais um fim de período.



Eu, quando fazia curso técnico de Design Gráfico, sempre reclamava dos trabalhos de fim de semestre, matava aula, fazia tudo em grupo, fazia o que todo aluno “revoltadinho” faz. Bom, pra melhorar minha situação, agora na Universidade, tenho mais quatro anos, quatro fins de período, cinco matérias por semestre, isso quer dizer que tenho cinco projetos finais 15x pior do que era no curso técnico. Logo, tÔ pensando em me jogar do prédio onde tô, porque tem muita coisa pra fazer e eu aqui escrevendo, e pq tô aki e não tô fazendo o que deveria? Pra começar, pq eu sou viajante e esqueço de carregar os arquivos do meu PC no pen, eu to no laboratório de informática já que o restante dos alunos não vieram pra aula de desenho, eu deveria entregar meu portifólio hoje, mas não rolou. E pq os alunos não vieram?
No espírito Santo, meu querido e pacífico estado, há uma greve do sindicato dos rodoviários que brigam por aumento de salário e mais uns adenos aí... Com a greve muita gente tem ficado em casa, no caso dos estudantes, aproveitando pra terminar os trabalhos de fim de período, mas isso só vale pra quem faz arte Qunado não há provas. Bom DAÍ PRA melhorar... a população, a mais prejudicada nessa história toda, resolveu deixar de ser coadjuvante pra ser protagonista desse teatro todo que é a vida de pobre. Daí que pow... QUEIMARAM ônibus em Cariacica. Eu estava realmente pensando: “Será que ninguém vai protestar?”, assim como é de direito fazer greve, é direito manifestar opinião. Mas a pergunta é do Célebre CHARLES Xavier dos X-MEN. Como DEFINIR o que é um padrão ético? Até onde vai?
VEJAMOS.
Se eu faço greve de comer feijão, (tenho esse direito, certo?), minha mãe fará um protesto, não me deixará comer batata frita, (tbm é direito dela). Talvez não seja um bom exemplo pq eu devo obediência a minha mãe, mas enfim. Quando os limites éticos ultrapassam o próximo como individuo é que nos encontramos com o problema. Meu exemplo não é bom pq estou falando de um único ser, e de mim mesma, não atrapalho a ninguém se não comer feijão, em compensação minha mãe atinge o mundo todo quando não me deixa comer batata, é uma coisa que fará muito mal a humanidade, meu humor altera, eu fico realmente com raiva.
Então o limite da ética, pra mim, é o todo. Quando isso atinge o TODO, passou dos limites. Quando passa a atingir quem não tem nada haver e porque já passou dos limites. No caso da greve e das manifestações é o oposto. A greve atinge a todos e a quem não tem nada haver com a relação empresa x funcionários. A manifestação atinge a empresa que não sabe resolver a merda do problema com os funcionários.
Pra FINALIZAR, minha mãe me ligou desesperada pra eu ir embora da UFES pq queimaram os bus... isso foi há km de distancia de onde estou, isso tah me deixando super stressada. Gente, eu to em fim de período neh?!
Karol FLEGLER

quarta-feira, novembro 03, 2010

Para ViníciUS Medina

Let’s go!
Eu estava realmente pensando na língua portuguesa e em como eu a uso de forma inadequada. Pensamentos do dia...
Usa-se hífen. Não usa hífen. Aprendi que para palavras paroxítonas usamos acento das palavras que terminam em USEI UM LIRÃO XNPS DITONGO ABERTO, para proparoxítonas acentuamos todas e para oxítonas terminadas em AEO seguidas ou não de S.
Eu demorei anooooos pra aprender isso e agora quando finalmente vou usar tah errado.
Outra coisa, vai ter língua complicada assim lá... em Portugal. Foneticamente, as palavras com mesmo som se escreve de maneira diferentes e palavras sons diferentes se escrevem iguais.
Pow... é dmais pra minha cabeça. Pra fugir disso tudo inventaram a língua da NET, \o/. Então, poucos são os que se preocupam em escrever certo quando estão no bate papo...mas tem erro que dói de ver. Então...filosofando..compreendi que se mudaram as regras da língua portuguesa, nosso querido Machado de Assis escreveu errado.
A fora isso, daki uns 10 anos, gírias como: VEY, CARA, BICHO serão pronomes de tratamento. Palavras como: nogoço, coisa e outras mais serão verbos.
Então vejamos a evolução da palavra VOCÊ. Pelo menos de onde eu lembro.
VOSSA MERCÊ, VOS SUNCÊ, VOCÊ, CÊ E C TAH ENTENDENDO?
Nossa língua é tão rica que nos sobra palavras.
Pra que serve essa tal “saudade”?
Falando em língua, amanhã Vinicius faz 23 anos. NÃO VOU COMENTAR.
Karol FLEGLER