sexta-feira, dezembro 10, 2010

IMEDIATAMENTE - LEIA


Bom, então estava pensando numas coisas. Esse negócio de envelhecer está me dando medo. Mas não é disso que quero falar. Não... não. É é de uma coisa...IMEDIATA. Estou com esse vírus, esse imediatismo contemporâneo. Essa doença que raramente encontram cura. Essa coisa de fazer tudo às pressas. Estou fazendo tratamento, auto-análise. Arte ajuda. E como!
Vou explicar, ok? Houve um movimento artístico, o minimalismo, onde menos é mais. Adaptei-me. Foi instantâneo. Mas afundei-me nessa concepção de que quanto menos tempo eu gasto mais eu faço. Não faço bem. É isso. É nisso que pensei no final desse período, ou gasto tempo fazendo algo pra que meus trabalhos saiam bons, ou não os faço bem. Do mais, fui na Saraiva ontem, folheei um livro de aproximadamente...umas mil páginas, folha por folha, imagem por imagem. Há quem diga que é falta do que fazer, mas quem me conhece sabe, vivo carregada 24h e não paro nem pra tomar água. O que aprendi é que pra se fazer arte de fato, tem que ter tempo e muita paciência. Não é saco, como costumeiramente eu digo, é paciência.
Em uma aula de desenho, conversando sobre o panejamento da Pietá de Michelangelo, o professor observou que o que era importante pra considerar era o TEMPO, anos e anos fazendo a mesma coisa. Nisso consiste a perfeição: tempo+paciência.
Já dizia... “Quem tem pressa come Crú”.
Roberto disse ontem... se tah demorando tanto, é pq qndo vier...virá perfeito. Vc sabe do que to falando.
Não me reconheço mais. Até nomeando os arquivos no meu PC estou. Fazer arte faz bem.
Karol Flegler.

Um comentário:

  1. hsuashausahsua ...
    Vc é d+!!! show de bola... kkkkk!

    faço das minhas a fala do Roberto!
    Mandou bem!
    I LOVE YOU!

    ResponderExcluir