quinta-feira, maio 05, 2011

Interior – ES

Memória remota que é passageira.

Viagem e janelas que dão pras mesmas paisagens fotografadas há tempos.

E sentir o vento no rosto, sentada na janela.

Quando se é criança tudo é maior. Tudo é melhor. Tudo é tudo.

Todos os homens têm interior. Pra visitar, pra lembrar.

Quem é que quando criança não tinha lugares pra visitar?

Todos os homens tem interior. Pra guardar, pra lembrar.

Quem é que não gosta de recordar?

E aquela casa que você nunca entrou? Poderia eu?

E se no seu interior tiver algo a esconder?

E no seu interior?

INTERIOR, da memória, do sentimento e do ES.

Nenhum comentário:

Postar um comentário