quinta-feira, junho 30, 2011

Reprodutibilidade e Pirataria

O grande astro do Cinema mundial foi Charles Spencer Chaplin mais conhecido como Charlie Chaplin, ele foi ator, diretor e produtor de grandes filmes e foi principal contribuinte da sétima ARTE – O CINEMA. Charlie, no filme “O Ditador” discursa:

Criamos a época da velocidade, mas nos sentimos enclausurados dentro dela. A máquina, que produz abundância, tem-nos deixado em penúria.

Ele estava falando do início das revoluções das máquinas, quando a produção em massa estava tomando seu espaço.

Walter Benjamin fala sem seu texto “A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica” sobre a fotografia e o filme, as novas formas de arte nos anos de 1930, e nem de longe imaginava, talvez, sobre o que vivemos hoje como reprodutiblidade técnica da sétima arte.


Entende-se por pirataria a reprodução, venda e distribuição de produtos sem a devida autorização e o pagamento dos direitos autorais.

Segundo Benjamin, “A obra de Arte, por princípio, sempre foi suscetível de reprodução. O que alguns homens fizeram podia ser feitos por outros. Assistiu-se, em todos os tempos, à discípulos copiarem obras de arte, a titulo de exercício, os mestres de reproduzirem-nas a fim de garantir a difusão e aos falsários imitá-las com o fim de extrair proveito material.”

“A pirataria é um fenômeno mundial que cresce intensamente, por despertar o interesse do consumidor através de um relevante atrativo: preços abaixo do mercado, que não permitem a concorrência entre os produtos falsificados e aqueles oferecidos pelo mercado legal.“

“constitui crime previsto na Lei nº 9.610 de 19 de fevereiro de 1998 do Código Civil e no Art., 184 parágrafos 1º e 2º do Código Penal Brasileiro, sujeito o infrator a penas de 1 a 4 anos de retenção.

Walter Benjamim e Charlie Chaplin colocaram o assunto em foco muito antes da pirataria que existe hoje existir e falaram muito bem do modo como ser humano reproduz, às vezes, indevidamente a obra de arte. Chaplin nem falou desse assunto, mas falou da produção em massa e Benjamim falou sobre o que isso traz para o mundo das artes.

A reprodução em massa de DVDs piratas trazem prejuízos de milhões por ano para as indústrias cinematográficas, pois com a não venda dos filmes e a reprodução pirata muito dinheiro é perdido, pois os piratas são 93% mais baratos que os originais. Além da violação de direitos autorais, o que caracteriza como crime é que as mídias são manipuladas com programas de computador, que por sua vez, também são pirateados, para desbloquear os “Compacts Discs”. E o texto do Chaplin se encaixa bem quando diz que “A máquina, que produz abundância, tem-nos deixado em penúria.” A tecnologia moderna nas mãos de pessoas erradas tem deixado o mundo em parafuso. Não é difícil ver, ao sair na rua, bancas de filmes piratas, por vezes, nem saíram do cinema. A qualidade é sempre inferior, mas se tem quem compre é um motivo para não deixar de produzir, ou nesse caso, reproduzir. E a população, em sua maioria não está se importando com quem fez, quem foi pago ou não, até porque o dinheiro da produção cinematográfica enriquece uma minoria. Então, se estão ficando ricos fazendo cinema, por que não dividir com a pirataria? E ainda difundir a sétima arte? Hollywood não ficará menos rica, deixará de lucrar mais. Até porque os cinemas ainda são as “salas culturais” mais freqüentadas.

O grande problema é que o lucro vai para as mãos do tráfico, dos bandidos, não vai pras mãos do governo nem dos grandes empresários. Mas ainda assim, a sétima arte está sendo difundida. Por mal ou por bem.

Até onde o certo e o errado entram nessa questão?

No decorrer do discurso de Chaplin ele fala sobre a igualdade e o direito de todos assim como para Benjamin, com a perda da aura se destrói a unicidade e a singularidade da obra de arte, mas ao perder seu valor de culto, o seu valor de exposição se intensifica. A obra adquire então uma nova característica: ela se torna acessível a todos. E ganha um novo valor: o valor de consumo.

Será de que Chaplin, com sua ideologia, se importaria com a reprodução pirata de suas obras?

Imagino que não. Quando uma obra de arte é feita por ideologia é feita pra ser difundida a qualquer preço. Assim como são impressões milhares de santinhos, esculturas para oração das mais diversas religiões, a arte quando pensada ideologicamente é reproduzida para difusão de seus ideais. No cinema não é diferente, se um filme é feito para ser exposto, para idéia de profusão de pensamentos ele deve ser difundido gratuitamente para as massas. É claro que há custos, assim como há custos para produção de outros objetos artísticos, toda via, não se pode impedir o acesso à obra de arte, nesse caso, o filme.

Se por um lado a obra de arte precisa ser distribuída para as massas com custos, esses deveriam ser mínimos. Os produtores querem lucrar com suas obras, assim como pintores famosos. Eles não estão errados. Mas quem acaba pagando o preço mais alto é a população que carece de cultura, que precisa da arte e que se corrompe pela possibilidade de ter arte acessível por um preço menor.

Entendendo o que a arte é para sociedade e o que ela pode fazer pela mesma, dever-se-ia entrar em acordo todos os meios de produção, para que a arte seja acessível e própria para o consumo.

Consumo desenfreado ou alienado?

“Trata-se de uma diversão de párias, um passatempo para analfabetos, de pessoas miseráveis, aturdidas por seu trabalho e suas preocupações, um espetáculo que não requer nenhum esforço, que não pressupõe nenhuma implicação de idéias, não levanta nenhuma indagação, que não aborda seriamente qualquer problema, não ilumina paixão alguma, não desperta nenhuma luz no fundo dos corações, não excita qualquer esperança a não ser aquela, ridícula de, um dia ser star em Los Angeles.

Eu diria que trata da arte mais acessível. Assim como a fotografia, o cinema ou o filme são as obras de arte ou os meios artísticos mais acessíveis às massas. Essas possibilidades vieram para democratizar a arte de modo que não são todos que podem ir ver uma obra de arte no museu na Europa, uma pintura, por exemplo. E de tão acessível, torna-se o único modo de transcender a imaginação através do entretenimento. Benjamim diz em seu texto que a arte exige concentração e as massas procuram diversão, o cinema veio para unir de uma vez por todas esses pensamentos: Diversão e concentração.

Até aqui, nada de muito novo, a arte continua sendo reproduzida por meios certos e não, para difusão da cultura e enriquecimento de uma classe, sendo vista como aceitável e não. Mas o que nem Benjamin nem Chaplin esperavam era que com os adventos das tecnologias a arte seria acessível e suscetível de reprodução caseira pelo computador e pela internet. Cada humano possuidor de um computador ligado à internet pode fazer o Download de filmes e/ou imagens de obras artísticas e imprimir em sua impressora doméstica e assistir o filme sem gastar praticamente nada ou ao imprimir uma imagem colocar em uma moldura e pendurá-la na sua sala. E isso é, talvez, o ápice da reprodução e da reprodutibilidade da obra de arte, ao passo que como tantas tecnologias o homem está a passos largos de uma nova produção artística, sem deixar as antigas de lado, ou seja, a arte digital está ganhando espaço, tomando o cinema, que hoje, de tantos efeitos especiais acabam se tornando uma nova possibilidade artística, inteiramente produzida por máquinas, que trabalham dia e noite dando a nós, humanos do século XXI, idéias do que será a arte dos próximos séculos não se abstendo, porém, das já antigas formas de arte. No lugar de pintura teremos os hologramas e no lugar de esculturas os robôs, mas os filmes continuarão e todas essas obras serão reproduzidas e serão suscetíveis e passíveis de reprodutibilidade técnica. E então o final do discurso de Chaplin que diz: (...) Lutemos por um mundo de razão, um mundo em que a ciência e o progresso conduzam à ventura de todos nós(...). E isso fará todo o sentido pois quando a ciência unida ao progresso levar-nos à arte, então a plena democracia da arte estará para o povo.

Bibliografia:

Benjamin Walter, A obra de arte na era de sua reprodutibilidade Técnica.

www.mundoeducacao.com.b

r

quarta-feira, junho 29, 2011

sexta-feira, junho 24, 2011

Auto com U e Alto com L

Então, o niver da Pri passou e eu pude sobreviver. E o termo “obra-prima” pegou, mas na mesma semana me veio um pensamento do ALTO que gostaria de compartilhar com vocês e só agora me sinto preparada pra escrever. Antes eu não poderia.

Não sei se você compreende, mas tem hora ki a gente se esquiva. Mas indo ao ponto, cantaram no louvor lá na igreja e Cintia repetiu, a pedido da Roberta, que tão brilhantemente pregou sobre o MARDOQUEU, A música “lugares altos” do ministério diante do trono. E aí... como digo...

Auto é uma palavra ki se usa qndo vc pode fazer algo por você mesmo... e ALTO é superior.

E eu tenho implicância com essa parada de “auto-ajuda” e tenho ki dizer ki sua ajuda precisa vir do ALTO.

Alto é um lugar que só os altos alcançam.

Como autocontrole? Quem tem que controlar sua vida é quem está no alto.

São tantos “auto-atendimentos”, “auto-serviços”, “auto-estima”, “autodidata”, “automotivos”.

O que está no Alto de entende e te ATENDE.

O que está no alto veio para servir, e serviu.

Ele te estima, te ensina.

O ALTO DEVE SER SEU MOTIVO.

Karol Flegler

segunda-feira, junho 20, 2011

Priscila – a obra prima:

Introdução:

“Então disse Deus: Façamos o Homem à nossa imagem, conforme à nossa semelhança. Criou Deus o homem à sua imagem, a imagem de D

eus o criou; homem e mulher os criou. (Genesis1. 26a e 27)

Titulo: Priscila – a obra prima:

Uma das muitas coisas que temos em comum é que gostamos de “As crônicas de Narnia”, e nessa história os reis e rainhas de Narnia tem nomes, ex: Lucia – a destemida. Em nárnia todos têm nomes assim. Hoje refletiremos sobre a preciosidade da vida, principalmente da PRI.

O TERMO OBRA PRIMA refere-se ao significado de ser única e especial. Assim como Monalisa é obra prima de Leonardo da Vinci, assim como Davi é obra prima de Michelangelo, Priscila é obra prima do CRIADOR.

Há muito que se discutir no que se refere a ser ou não ser arte hoje em dia, o próprio termo “arte” é coisa do homem que a partir do séc. 18 passa a usar para referir-se a pintura, escultura etc... Quando entrei na UFES, eu entrei em parafuso tbm, pq ninguém soube me explicar o que é arte e pra que ela serve. Mas não vamos discutir o que é, e para que serve. Vou te dar uma resposta: Arte é aquilo que o artista é e útil não só pra contemplação. E a partir disso Falaremos da importância da vida de cada um de nós como OBRAS PRIMAS DO CRIADOR.

I - Deus é a causa imediata de toda arte" – Scheling

Esse filósofo é também um teólogo que tem uma discussão a respeito da criação e produção da arte, mas o mais importante que ele Diz é que NÓS NÃO CRIAMOS, ou seja, nós não inventamos absolutamente nada, só Deus é o criador, e nós copiamos tudo.

II – Deus não nos fez à imagem e semelhança atoa.

Ele poderia ter-nos feitos como araras, cachorros, mas QUER alguém pra se relacionar com ele, alguém que se pareça com ele, e algum de nós tem a capacidade de entender as coisas de DEUS e refazê-las, mas não de criar.

Quando Michelangelo fez o Moisés para o tumulo do Papa, ele bateu no joelho da escultura e disse: levanta e anda! Mas a escultura não se moveu, só quebrou uma lasquinha do joelho, Pq embora nós tenhamos a capacidade de reproduzir coisas parecidas conosco, somente Deus pode dar vida.

Um artista raramente faz as coisas sem planejar, e quando faz, faz besteira. Deus planejou fazer o ser humano. Você é um projeto especial do criador;

Outro dia eu me stressei na aula de desenho e surtei: como pode Michelangelo com 23 anos pode esculpir a “Pietá” eu não consigo desenhar um vidro de perfume? O professor respondeu: - ele demorou anos pra fazer!

Como é o processo Criativo do criador?

Vou explicar o começo.

Todo artista que se preze quer que sua obra permaneça. Deus também queria assim! Por isso somos eternos, e quando morremos aqui ou vamos para o céu ou pro inferno, isso faz parte. Somos eternos. E para sermos duradouros, precisamos da base de preparação. Você pode não estar entendendo, mas vamos sugerir que dentro do mundo das artes a Priscila é uma tela, um quadro, e para pintar o quadro, precisamos preparar o suporte! A preparação desse suporte é feita para proteger a pintura, pq a tinta diretamente no tecido estraga e apodrece o linho, logo, essa base de preparação é feita de cola, óxido de carbono e gesso crê. Mas não vou me aprofundar nos termos químicos, é só pra dizer que temos que usar a base antes da pintura! E como DEUS FAZ ESSA BASE? A base é a bíblia! Lógico! A bíblia em nossa vida evita maiores apodrecimentos. Pri, pra você não apodrecer e continuar a jornada tem que estar embasada na bíblia! Ela vai nos conservar puros e santos. Pq a bíblia é a palavra de DEUS.

Josué: 1-8

Não deixe de falar das palavras do livro dessa lei e de meditar nela dia e noite, para que você cumpra fielmente tudo o que nele está escrito. Só então seus caminhos prosperarão e serão bem sucedidos.

A promessa de Deus para quem tem a bíblia como base é ser vitorioso E bem sucedido. Quem lê a bíblia é mais inteligente.

Na UFES, houve 2 episódios relacionado a isso: uma menina perguntou se a história de Davi era mitologia grega. E em um dia de análise de imagens, só crente sabia contar a história de Abraão, e pra surpresa de vcs, eles nunca tinham ouvido a história!

Ilustração: bolo de cenoura.

Pergunta: VOCÊ JÁ USA A BÍBLIA COMO BASE PRA SUA VIDA?

Toda arte por mais perfeita que ela seja, sofre danos. Elas são movimentadas, sofrem ação do vento e do ar úmido, por isso existem os “restauradores”, pessoas capacitadas e entendidas no assunto para cuidar da obra para que não se altere.

Toda obra é reparável. Todo mundo tem jeito! E por mais que temos sofrido a ação do pecado em nossas vidas, ainda assim, nós podemos ser restaurados! Ainda que tenhamos distorcido a imagem e criação de Deus, nós podemos ser “consertados”. Ninguém está isento disso. E nessas horas que há ação do restaurador.

Deuteronômio 30:2 e 3a:

e quando vocês e seus filhos voltarem para o Senhor , o seu Deus, e lhe obedecerem, de toda sua alma, de todo o seu coração de acordo com tudo que lhes ordeno “Então o SR. Deus lhe trará restauração”.

(...) intervir em uma obra de arte, é um ato de extrema responsabilidade e serão a sensibilidade e o

bom senso do restaurador que determinarão os "rumos das intervenções e a forma como o objeto de arte,

danificado ou deteriorado, será esteticamente apresentado" Argolo, 2005).

Na Grécia antiga o restaurador era visto como quem fazia magia, pois dava vida às obras.

Na idade média o restaurador era visto como artista pq corrigia as obras.

O RESTAURADOR da sua vida precisa ser DEUS, POIS é ele quem te dá vida, quem te corrige as imperfeições, o erros. Mas é preciso que você permita ser restaurado. O vers. Cita: “qndo vcs voltarem”, ou seja, a decisão de ser restaurado é nossa.

PRONTO: SERIA FÁCIL SE fosse só isso! Depois da obra pronta, o que acontece? Ela vai pra exposição, vai para os grandes museus ou coleções particulares! Mas e aí? Aí que o mercado de arte é complicado de entender. Pois como uma obra é mais preciosa que a outra? E como se dá esse mercado?

Toda obra de arte tem valor! Você tem um valor. O que vc é tem valor.

Em Genesis 38 conta história de Judá e Tamar. 15 a 18. O cara deu tudo que possuía de mais valor para um momento de prazer, deu como garantia de um momento passageiro.

Às vezes, sabemos que o que temos é precioso, sabemos o que somos, e nos vendemos por um preço muito abaixo do mercado. Vendemos nossas promessas, trocamos por um prato de lentilhas.

Imaginem-se em um leilão, estou leiloando Priscila! Quanto você daria? Ela tem dons, é uma filha obediente, serva, linda. E aí quanto você dá?! O diabo, inimigo de nossas almas, deu um lance, mas olhem só, quem é que quer comprar? Jesus! Ele deu a própria vida pra ter Priscila!

Deus entregou a vida do próprio filho pra ter a tua, mas ele permite que você escolha com quem quer ir. Você já tomou sua decisão?

Quando você tomar decisão ao lado de JESUS, sua vida terá objetivos, e não será meramente uma obra, servirá para anunciar os feitos do Senhor, exemplos de vida e estará na sala do trono de DEUS, de onde ele observa e contempla alegremente sua vida.

Concluindo:

Somos todos obras de arte do próprio Deus.

Somos únicos.

Precisamos da base de preparação que é a bíblia.

Precisamos do Restaurador, que é o próprio Deus que nos conhece por inteiro.

Fomos comprados por mais alto preço.

Nossa vida tem objetivo, de mostrar de onde viemos, para onde iremos e servir de contemplação divina, e edificar ao próximo.

segunda-feira, junho 06, 2011

Dia do inferno

Tah, dia do inferno tah chegando povo!! E pra quem não sabe, nomeei esse dia assim por conta de toda zuação que recebo durante esses 3 anos que estou só. Oh Lord. E aí fui ler o livro que todos sabem que escrevi... fui ler a última história que fará um ano dia 20 de Julho. Não sacou? Eu escrevi a minha última história no dia 20 de julho de 2010 e até hoje, dia 06 de junho de 2011, eu não tive nenhuma outra.

Não é ... que ... nenhuma outra. Nenhuma outra.

Aí eu não sei bem o que fazer, nem o que pensar. Estão armando pra mim pelas costas, fiquei sabendo hoje. Gente, não faça isso! Ki feio!

Quanto à história passada... Tô querendo publicar meu livro no blog, INTEIRO.

Quanto à história passada... vou jogar no vento.

E vou abrir meu coração pra vcs.

Viu?

Karol Flegler

sexta-feira, junho 03, 2011

1 milhão de lados no manifesto em Vitória

Sempre tenho que dar minha opinião pra tudo mesmo! Muitas pessoas pensaram que eu pudesse estar no manifesto ontem, mas como estaria se não tinha como chegar?

VI muitas reportagens sobre o assunto, e não consegui escolher um lado... se da população prejudicada ou dos estudantes. Do governo, jamais. É... pq não tem dois lados, tem vários, mais de um milhão.Ouvi de um estudante dizer que as cenas de repressão pareciam cenas na ditadura, mas cá entre nós, a ditadura foi muito mais intensa de se ver, e eu que não participei, vejo imagens, registros históricos de uma época que o poder imperava e a união de forças pra ditadura cair era intensa, todo país, todo o povo.

Já dizia Geraldo Vandré...

Ainda fazem da flor seu mais forte refrão
E acreditam nas flores vencendo o canhão

Talvez seja nisso que os estudantes do Espírito Santo acreditem, nas flores.

Talvez seja nisso que o governo acredite, nos canhões.

Que a beleza de querer mudar o mundo não seja sufocada pelas bombas de efeito moral, pq a moral é akilo que se acha justo, está abaixo da ética. A ética sobre todas as coisas. Sobre as balas de borracha.

Então vai uma idéia pros estudantes, talvez poética, talvez artística...

Levem flores.

Pela morte do da constituição, pela morte da democracia.

Eu não falo somente do protesto em vitória, falo de todos esses que querem matar os direitos... Os direitos criados através de manifestos anteriores que fizeram chegar onde chegamos hoje, um país livre que não usufrui da liberdade.

Mas lembrem-se estudantes, existem mais de um milhão de lados, e o lado que se deve combater é o crime, a desorganização, a máfia.

Karol Flegler