terça-feira, setembro 13, 2011

Sempre tem um João.

Talvez você não saiba. Mas sempre tem.

Vou explicar.

Já fez um ano que estou com o pequeno grupo de juniores aqui em casa, e tem um João, já falei dele aqui no blog, uns 11 anos que quando me abraça me falta ar.

Na escola que dei aula tinham 3, um em cada turma, me encantei.

E agora fazendo um estágio do programa “tempo integral”, cheguei à conclusão que sempre tem um João, não que no grupo tenha um, mas é que o grupo todo é um João.

E até parece que quando se quica a bola de basquete há mais chance de acertar a cesta.

E até parece que quando se grita há mais possibilidades de se fazer o gol.

E até parece que me abraçando vai fazer doer menos a falta de pai e mãe.

E até parece que ficar perto ‘das tias’ vai fazer esquecer a dor.

E até aprece que cantando “musicas de igreja” vai animar o pessoal do ônibus.

Parece-me ... que uns tantos futuros eu já vi.

Parece-me que isso eu tu já vivi...pq , como diziam meus amigos, se for ver...

SEMPRE TEM UM JOÃO.

Karol Flegler