domingo, agosto 12, 2012

TRANSCRACOLÂNDIA - RECIFE -


Muito apropriado escrever meu testemunho sobre a TRANSCRACOLÂNDIA – Recife hoje, no dia dos pais.
A minha relação com as drogas começou cedo. Calma. Nunca usei drogas, aliás... bom, o que quero dizer é que sempre vivenciei “as drogas” mesmo sendo indiretamente. O fato é que meu pai foi morto por um cara que estava drogado, ou que usava drogas. Muitas pessoas próximas de mim usaram, ou fazem uso de drogas. Isso sempre foi uma realidade próxima de mim. O fato é que depois do congresso em São Paulo, depois de ver uns 40 homens transformados por Jesus na Cristolândia de São Paulo, senti-me tocada. Já sabia que ia pra TRANS, só não tinha certeza de onde, mas quando voltei, fiz minha inscrição de fato para TRANSCRACOLÂNDIA DE RECIFE. Quando eu cheguei, o Pastor Wagner me perguntou: PQ RECIFE? Eu enrolei horrores, mas no fundo eu sabia: PQ Deus mandou, ué! Daí então tudo começou a ficar mais claro. Eu fui logo pra uma igreja onde o Pastor Eliú estava com sua família, mãe Lídia e Aninha. Deus já começou acabando comigo na mensagem. Mas de modo resumido, vou contando algumas das minhas principais experiências. No outro dia pela manhã, caminhávamos para o templo da Primeira Igreja Batista de Recife, quando íamos passando, o pastor e sua família cumprimentavam TODOS os moradores de rua, abraçando, brincando e rindo. Me veio um nó na garganta quando eu vi crianças ali, nascendo moradores, crescendo moradores de rua. Mais um culto, mais uma pregação, mais uma martelada de Deus. No dia seguinte começava tudo.
Primeiro o treinamento, depois conhecendo o grupo, depois indo pra rua e vendo a quantidade absurda de moradores de rua e usuários de drogas. Primeiro dia de caminhada de oração. E meu coração foi se “compadecendo” daquelas pessoas. Vi uma apresentação “à moda nordestina” muito engraçada, mas que carregava a mensagem de Salvação de modo extravagante! Fiquei impressionada! Troquei de grupo, as abordagens se iniciaram e muitas coisas fui percebendo, dentre elas, a quantidade de gente afastada do evangelho, ex cristãos agora ateus, ex cristãos agora espíritas e muitos outros, que confiam cegamente que somente tendo bom coração é capaz de alcançar a redenção para os pecados e entrada no Céu. Mais um pouco de coragem da minha parte eu iria enlouquecer. Aé, porque isso estava esquecendo, nesse projeto, Cristolândia, só tem louco, hora nóia, hora nóia.  "Nóia" significa razão, compreensão, entendimento.  MAS também Pessoa mentalmente debilitada, faz de tudo pra ter o que quer, não nessecariamente droga, pode ser qualquer coisa.
Eu estava enlouquecendo, sendo, como disse o pastor, INFECTADA. Estava eu, uma noite, com alguns alunos da Cristolândia pela cidade, abordando as pessoas... a orientação que nos foi dada era para que abordássemos as pessoas comuns, nos pontos de ônibus. Mas os alunos não queriam, eles estavam impacientes, de certa forma eu também, eles diziam onde os nóias estavam, eles queriam ir até lá, diziam eles: quero tirar o povo que não  tem oportunidade, mostrar o que Jesus FEZ na minha vida. Eu também queria, mas ordens são ordens. Mas aquilo mexeu muito, lembrei da pregação do Pastor dias antes que, baseada na história de Marcos 2: 1 a 12, falava das parecerias para levar alguém até JESUS. O paralítico foi curado porque alguém se importou e fez tudo que poderia fazer pra que ele fosse curado. O que nós estávamos dispostos a fazer? Eu estava disposta até obedecer. RS Incrível, neh?! Não que eu seja rebelde e desobediente, mas que submissão quando se é líder e já trabalha há muitos anos propondo estratégias e não só simplesmente obedecendo é mais difícil. Principalmente pra mim. Mas até nisso Deus trabalhou em mim. Por fim, um dia fomos, à noite pra uma espécie de “terminal”, e aí, lá encontrei jovens afastados, uma mulher que não quis aceitar a Jesus, dizendo:”Por enquanto, não”. Mas também, um guri de 8 anos. EU AGUENTO VER QUALQUER COISA, MENOS UMA CRIANÇA. Ele com toda pureza de uma criança conversava com alguns voluntários, uma das meninas contou a história da pulseira colorida. Todo mundo queria trocar ideia com ele. Menos eu, pq mais um passo em sua direção, ia pegá-lo e esconder dentro da mala e trazer pra Vitória. Porque não dava pra ver sem poder fazer nada. É importante lembrar que o governo não permite que façamos muita coisa. Mas pra Resumir, o sonho dele era ir pra “Cristolândia” quando crescesse e embora muitos tenham achado isso lindo, meu coração se revoltou. Embora a missão seja um lugar acolhedor, eu gostaria que ele quisesse mais, estar em uma casa, com uma família. Aaah, eu tive muita vontade de gritar naquele dia. Em outra ocasião, andávamos, eu e meu parceiro pela rua, quando um rapaz se aproximou e perguntou o que estávamos entregando, respondemos que eram uns folhetos que falavam sobre o amor de Deus, ele disse: é isso que estou precisando, me dê um e orem por mim. NA HORA, demos a ele e na faixa de pedestre com o sinal fechado, oramos por ele. Eu escreveria um livro aqui contando de todas as abordagens, mas preciso dizer que as pessoas “normais” mulheres que eu abordei, a maioria delas entregaram suas vidas a JESUS. Porque o evangelho é isso... essa pureza toda de preencher todo vazio que existe no ser humano. Mais dia menos dia eu deveria assumir aquilo que Deus me preparou pra fazer.
Muitos dos moradores de rua e usuários de drogas permaneceram (até o dia que saímos) na missão cristolândia, um grupo ainda seria encaminhado para fase, outros continuariam o tratamento, mas aqueles que o Espírito de Deus alcançou nos dias em que estávamos lá estavam no culto da vitória, e eu pude ver a verdadeira essência do evangelho puro e simples. A conversão do homem, o arrependimento do pecado, a crença em JESUS, a esperança de uma nova vida, onde absolutamente tudo vem de DEUS, pq sozinhos nada podemos fazer. Chorar eu não chorei, confesso. Só pude rir. Sorrir, e aí sim, chorei de rir.
É claro que essa experiência não foi só um álbum bonito no facebook, não foi pra mostrar pros amigos. A ideia de mudar o mundo continua latente no meu coração, e agora sim, com lágrimas, porque rola sempre o nó na garganta quando eu penso “COMO EU VOU FAZER ISSO?” é claro. Eu pensei em mil coisas, minha cabeça fervia, ideias ideias ideias... COMO FAZER ISSO COM ARTE? Bom, então veio a mim a voz do Espírito que dizia: Porque você não escreve um projeto de arte terapia pra trabalhar com esse povo? É quase como um “cutucão” da parte de Deus, sabe quando vc é incentivada a fazer algo? Tipo isso. Por que não? Por que não fazer o processo inverso da arte? Já que muitos artistas se drogam pra fazer arte, porque não fazer arte com ex drogados?  Por que não mobilizar a missão pioneira do Brasil e envolvê-los na Cristolândia? Por que não começar a fazer trabalhos de prevenção das congregações e se envolver profundamente com isso até que eu te fale o próximo passo depois da sua formação acadêmica. Tudo que você viveu te trouxe até aqui.
Antes de viajar eu tive mais um desses sonhos proféticos, que eu sempre me fazem pensar que tô ficando maluca. Descia do céu, nuvens movendo como se preparassem algo, minhas mãos as moviam, descia delas uma “água viva”, vermelha, como brilhantes, chegavam até as minhas mãos e as nuvens sumiram, eu acordei. É de enlouquecer, não é?
A obrigação de todo cristão é pregar o evangelho, certo? Amar, servir, etc... MAS  oq estamos dispostos a fazer pra que o mundo creia? Que seja enlouquecer, mas o farei.
Em janeiro, teremos em Vitória-ES a transcracolândia, espero poder participar. Espero mover meio mundo pra participar, espero que todos encontrem a JESUS e sua salvação... e o ESTADO mais evangelizado do país seja de fato o estado com mais números de salvos e que os mesmos avancem para outros estados contagiando o Brasil.~
Recife me deixou com saudade. Com vontade de ficar. Encontrei irmãos que talvez eu só encontre no céu. Espero que isso tudo que vivemos sejam lembranças onde encontraremos forças quando estivermos desacreditados. Que nos traga à memória o que nos deu esperanças nesses dias: O verdadeiro evangelho que TRANSFORMA –

Karol Flegler

Um comentário:

  1. Karol, compartilho muito desse seu sentimento e fico muito contente por Deus estar trabalhando em seu coração. É isso aí...
    Um abraço!

    ResponderExcluir