quinta-feira, outubro 10, 2013

E na semana da criança...


Em tempos de fotos “remember” no facebook, gente de toda tribo tem colocado suas fotos de quando pequenos, seres sem preocupações, ou até brinquedos, faz-me ter boas lembranças de um tempo que certamente não volta. E é bom que não volta, porque assim a gente pode ter tudo guardado num frasco colorido de boas recordações, sem saber de fato o que se passava ao certo.

Penso que nossas lembranças não são de dias como dias das crianças, são de dias importantes até porque não era todo dia que se tinha grana pra ter filme e revelar a foto. A foto, esse registro leva a gente pra outra dimensão. Pro passado remoto, deixa a gente mergulhar por um instante, e quando os olhos se enchem de água é hora de “desafixar” os olhos antes que se afogue. A gente, olha, parece que já pode ouvir a voz da mãe gritando, do pai falando “olha pra cá”. Nossas lembranças são de dias em que muita coisa não importava. Não importava se ia sair feio ou bonito, ia sair sem mesmo saber pra que. A gente nem sabia porque tirava foto.

Nossa infância foi de tirar o fôlego. Tudo era tão maior que hoje. Foi tudo tão rápido. Olho-me nas fotos e pergunto: - o que aquela criatura pensava?

Em poder dar uma volta no quarteirão de bicicleta. Medalhas de papel eram as mais valiosas.Colorir..
.
Essas benditas lembranças nos perturbam. Talvez seja esse o propósito. PERTURBAR e não nos deixar esquecer, pra não distanciar o modo de pensar. Agora o quarteirão é o mundo, medalhas valiosas são agradecimentos sinceros e COLORIR continua sendo VIVER.

Karol Flegler