sábado, janeiro 24, 2015

Então, quem foi?

João era um menino humilde da favela, tinha mais 3 irmãos, todos homens, sua mãe era uma mulher que lavava roupa pra fora, pra uma dona da baixada, o pai... bom, não tinha pai. Que grande sorte a do João, que conseguiu por meio de sorteio, uma vaga na escola pública!

João crescia, brincava na rua, de vez em quando sua mãe o levava pra casa da dona onde pegava roupa pra lavar, lá na baixada. João via todo dia, as vitrines bonitas das lojas, os carros que passavam, as grandes construções históricas. O menino, era pura esperteza. Certo dia, ao chegar na casa da tal dona, viu sobre a mesa da cozinha um pão, passou a mão, colocou dentro da bermuda, já que nem bolso tinha. Na casa da dona, uma guria  que de tão distraída com seus brinquedos nem notou a presença de João, o ladrão de pão.

Um não belo dia, a dona disse pra mãe de João que não ia mais precisar dos serviços dela. João parou de estudar, teve que ir junto com seus irmãos pra rua, vigiar carro, vender bala. João, ia pra cidade, via as vitrines, os carros e as grandes construções históricas, onde ele não poderia entrar descalço. Aí João, teve uma grande idéia. Ele estava exausto de todas as vezes que chegava em casa e não tinha pão. Ele resolveu então, junto com seus irmãos, roubar pão.

João ficava escondido próximo à padaria da esquina da baixada, toda vez que alguém entrava na padaria, João já ficava de olho,  João  seguia até a casa, entrava escondido e roubava o pão. Em uma semana, João roubou mais pão do que poderia comer... deu pão pros seus irmãos, pros amigos e ... João foi pego pela polícia. Preso, de menor. Todas as vítimas reconheceram João. Em um coro uníssono cantaram:

- João roubou pão (...)
- Quem eu?
- Sim, tu!

João ficou preso por algum tempo, depois saiu, começou a roubar de verdade. E é, claro, como quase todo negro da favela, virou mais um número no índice.

Mas a grande pergunta que não quer calar é: QUEM FOI QUE ROUBOU O PÃO NA CASA DO JOÃO?


Karol Flegler

Nenhum comentário:

Postar um comentário